sábado, dezembro 30, 2006

Feliz Ano Novo

Que o melhor de 2006 seja o pior de 2007.
Feliz ano novo!

quarta-feira, dezembro 27, 2006

Ensaio Sobre O Português Por Keyserling

"Keyserling atribuíra ao português uma obstinação de atitudes que não se define senão em momentos chave e que pode contradizer a rotina de uma vida inteira. No geral, ele não participa muito no fenómeno social, mas concebe-o como espectáculo, adia o compromisso, ironiza por subverter, mas não deseja modificações irreversíveis. Negoceia, pactua, envolve-se pelo sentimento nas condições mais anfibologias. Mas, de repente, já não é o cidadão solícito nem o indivíduo servil. Comete um crime ou torna-se um herói; faz tábua rasa da sua formalidade, revela-se o herege, o mação ou o homem de utopias condicionado à sua oportunidade."

Texto: "Pessoas Felizes" de Agustina Bessa-Luís
Imagem: DR

sexta-feira, dezembro 22, 2006

quarta-feira, dezembro 20, 2006

Com (Im)Paciência, Aguardo...

video

Após a apresentação no festival de Veneza, aguardo pela estreia no nosso país da última obra do realizador David Lynch; "INLAND EMPIRE", que conta com as participações de Laura Dern, Jeremy Irons e Justin Theroux.

(Can't wait!)

segunda-feira, dezembro 18, 2006

A Remarkable (Minimalist) Masterpiece

Em 2002 Philip Glass compôs a excelente banda sonora para o excelente filme "The Hours". Dois anos depois Michael Riesman (o maestro de quase todas as obras sinfónicas de Glass) e Nico Muhly estudaram as pautas e converteram as 14 obras que constituem a referida banda sonora para solo piano. Assim nasceu este extraordinário disco. O piano, executado pelo próprio Riesman, transmite todo o esplendor, toda a força, energia e emoção das peças originais. Obras como "Morning Passages", "Why Does Someone Have To Die?" ou "Escape!" estão inesquecíveis. Um disco indispensável para quem aprecia a música de Philip Glass, obrigatório para quem é fã desta banda sonora e inesquecível para quem aprecia piano. Cinco estrelas! Uma obra que irá merecer lugar cativo em qualquer discografia privada.

Imagem: DR da Orange Mountain Music

terça-feira, dezembro 12, 2006

Happy Birthday, Edvard Much!

Por ocasião do 143º aniversário do nascimento de Edvard Munch (hoje dia 12 de Dezembro), aqui fica a explicação do artista sobre a sua obra máxima; "O Grito" ("Skrik", no original):

"Caminhava eu com dois amigos pela estrada, então o sol pôs-se; de repente, o céu tornou-se vermelho como o sangue. Parei, apoiei-me no muro, inexplicavelmente cansado. Línguas de fogo e sangue estendiam-se sobre o fiorde preto-azulado. Os meus amigos continuaram a andar, enquanto eu ficava para trás tremendo de medo e senti o grito enorme, infinito, da natureza."

segunda-feira, dezembro 11, 2006

Mrs. Woof by Mrs. Bell

"Virginia Woolf", por sua irmã Vanessa Bell, 1912. Esta obra encontra-se na National Portrait Gallery, em Londres.

quarta-feira, dezembro 06, 2006

Дорогая Лолита

"Luz da minha vida,
Fogo do meu ventre,
Meu pecado, minha alma...
Lolita."

Texto: Vladimir Nabokov; "Lolita"
Imagem: Sue Lyon no filme "Lolita" (1962)

sexta-feira, dezembro 01, 2006

Já Que Se Fala Em Surrealismo...

Duração do clip: 42''

"Un Chien Andalou", uma curta-metragem de apenas 17 minutos, é considerada como a peça mais vanguardista da história do cinema. A ideia de Luis Buñuel e do mítico pintor Salvador Dalí foi de escandalizar o público e romper com as formalidades cinematográficas da época. A reacção dos cinéfilos não se fez esperar... Durante a sua exibição em França ocorreram vários tumultos em frente das salas que acolheram a cópia do filme. Se ainda hoje alguns classificam esta película como uma monstruosidade, muitos outros classificam-na como uma obra de arte. Penso que nem é necessário dizer a que grupo pertenço, certo?

Título: Un Chien Andalou
Ano: 1928 (França)
Argumento: Luis Buñuel e Salvador Dalí
Realização: Luis Buñuel