segunda-feira, julho 28, 2008

Foto À Minuta - IV

"Bricks Are Heavy" de Scott Redford

"I don't like art that begins with the assumption that we know better than them: meaning that art has something more meaningful to say about the world. The meaning of the world is already there in the world in abundance. 'What you see is what you see' as they say." - Scott Redford

quinta-feira, julho 24, 2008

redrum

"O vento irrompeu novamente em rajadas, obrigando-o a piscar os olhos e, entretanto, a sombra junto da paragem dos autocarros desvanecera-se... se é que alguma vez lá estivera. Ficou à janela durante (um minuto? uma hora?) ainda mais tempo, mas nada mais aconteceu. Até que por fim se esgueirou novamente para dentro da cama, puxou os cobertores para o queixo e ficou a observar as sombras que o lampião da rua projectava intrusamente, a transformar-se numa selva sinuosa repleta de plantas carnívoras que apenas procuravam envolvê-lo, arrebatar-lhe a vida, e arrastá-lo até ao mais fundo de uma enorme escuridão, onde reluzia a vermelho uma palavra sinistra: Redrum."

Quem leu o livro ou viu o filme sabe o que quer dizer "redrum"... Se não for o seu caso, deixo-vos uma pista: trata-se de um anagrama em inglês. Alguém arrisca?

Texto: Excerto de "The Shining" de Stephen King
Imagem: Fotograma do filme "The Shining" de Stanley Kubrick

sexta-feira, julho 18, 2008

Óleo Sobre Tela (XVII)

Frida Kahlo - "Henry Ford Hospital" (1932)

domingo, julho 13, 2008

Cahiers Du Cinéma Portugais (IV)

"A Janela (Maryalva Mix)
de Edgar Pêra
(2001)


video
Experimental e xunga.
Uma "cine-pharsa" obrigatória de Edgar Pêra.

"Eu com a gaja dentro de uma panela de caldeirada.
Tás a ver... A mocar e a comer caldeirada."
por António

quarta-feira, julho 09, 2008

MiNiMaL aRt (VII)

"Telephone Boxes" de David Mach
(1989)

sábado, julho 05, 2008

"O casamento no fundo é isto, duas pessoas sem alma para cozinhar e nada para dizer partilhando peúgas em detergente e frangos de churrasco".

"A Morte de Carlos Gardel" de António Lobo Antunes

quarta-feira, julho 02, 2008

"Mal passou o espectro do Dilúvio,
Na Casa Grande, com vidraças ainda escorrendo, crianças de luto olharam as imagens maravilhosas,
A Senhora *** instalou um piano nos Alpes. A missa e as primeiras comunhões celebraram-se nos cem mil altares da Catedral.
Cobertas negras e órgãos - raios e trovão, - venham para o alto e rolai; - Águas e tristezas, cresçam e alteai os Dilúvios."



Texto: "Iluminações e Poemas" de Arthur Rimbaud
Imagem: "The Morning after the Deluge" de William Turner (1843)