sexta-feira, dezembro 19, 2008

Óleo Sobre Tela - XXII

Graça Morais
"O Sagrado e o Profano - O Interdito Transformado" - 1987

8 comentários:

Ca:mila disse...

as cores não tornam o quadro menos triste e a amplitude do espaço se resume a corpos espremidos.

angustiante, mas bonito.

Mr. Lynch disse...

Cam:la;
Concordo inteiramente com a tua análise.

SAM disse...

Putz...Que lindooo! Sagrada é a arte! Nela não existe o profano.


Meus sinceros votos de um feliz e renovador natal para você e seus familiares e que todas as suas esperanças se concretizem em 2009, .............!


Beijooooooooooooooooohohohohohohô, Mr. Lynch!

Gittana disse...

as pinturas que você está mostrando aqui, são vocês?

são lindos!

beijos...

DarkViolet disse...

A matéria confunde-se com a Alma, mistura a tocar trajectos descontínuos de subtilezas. Funde-se linhas em mundos diferentes

Mr. Lynch disse...

SAM;
Exacto: na arte não existe o profano!
Feliz Natal.
Beijinho




Gittana;
São seres perdidos neste mundo que Graça Morais tão bem retrata...
Beijinho





Darkviolet;
Mundos perdidos que no entanto... é o nosso.
Abraço

mdsol disse...

:))

Mr. Lynch disse...

Mdsol;
Como sei que és uma amante de arte, gostaria de um dia realizarmos uma "tertúlia cibernética" sobre a arte nacional. O que pensas?
;)*